Dia Mundial do Combate ao Fumo

Por Cristhiane Silva Pinto*

Olá queridos! Hoje vamos conversar um pouco sobre o grande vilão que se chama – Fumo. Existem várias formas de se fumar, as mais comuns são: cigarro, cachimbo, fumo de rolo, narguilé;  mas todos sem exceção são extremamente deletérios ao organismo.

Engana-se que pensa que o fumo é responsável apenas pelo câncer de pulmão. Ele está relacionado a muitas outras doenças e tipos de tumores, tais como: tumores de Cabeça e Pescoço (ex: laringe, assoalho de boca, língua), tumores de pulmão, tumores de bexiga, doenças cardiovasculares (ex: Infarto Agudo do Miocárdio, Tomboangeíte Obliterante), doenças pulmonares (ex: enfizema pulmonar, fibrose pulmonar) etc.

Muitas vezes o fumo é visto por jovens como uma forma de mostrar-se uma pessoa moderna e fazer parte de determinado grupo, mas sabemos que quanto mais jovem se começa a fumar, mais difícil é o posterior abandono ao vício. O hábito de fumar é muitas vezes mais difícil de abandonar do que a própria dependência química.

Outro grande absurdo que ouvimos em relação ao fumo é que ele ajuda a emagrecer, infelizmente a ditadura da beleza fortalece esse tipo inadequado de pensamento. Pessoas que fumam são em alguns momentos mais magras, porque o fumo altera o paladar e inibe o apetite. Será que vale a pena trocar uns quilinhos por um câncer ou um infarto? Eu acho que não.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera o tabagismo como a principal causa evitável de morte no mundo!  Ela estima que cerca de um terço da população mundial adulta seja fumante (47% de homens e 12% de mulheres). O total de mortes ocasionadas pelo tabaco atinge 4,9 milhões de mortes anuais, o que corresponde a mais de 10 mil mortes por dia. Caso o consumo atual permaneça, as mortes anuais subirão para 10 milhões por volta de 2030, sendo metade delas em indivíduos em idade produtiva (35-69 anos). (WHO 2003).

Várias mudanças vêm ocorrendo nos últimos anos no que concerne ao combate ao fumo. Muitas conquistas aconteceram, entre elas: A Política Nacional do Combate ao Fumo, o aumento de impostos ao cigarro e fumo em geral, a rotulagem das embalagens (evidenciando as complicações que o fumo gera e não o sucesso e a beleza como anteriormente), a proibição de publicidade e promoção dos produtos do tabaco, a proibição da venda para menores de idade, a criação de ambientes livres de tabaco, entre outras. Porém ainda há muito para conquistarmos nesse campo até que possamos considerar a guerra vencida.

Parar de fumar não é fácil, mas certamente é possível se o indivíduo em questão tiver vontade e ajuda. O SUS possui vários núcleos anti-tabagismo, que oferecem medicamentos, psicoterapia e acompanhamento de uma equipe multidisciplinar. O INCA (Instituto Nacional de Câncer) desenvolve um importante papel junto a OMS como Centro Colaborador para o Programa “Tabaco ou Saúde”, na América Latina.

Espero que nosso breve comentário tenha servido de alerta para todos aqueles que fumam e para aqueles que ainda não caíram nessa armadilha. Quanto a mim, só dois tipos de fumaça fazem parte da minha vida: a que vem do incenso que uso em minhas meditações e aquela que sai das panelas com comida quentinha… beijos a todos.

Para maiores informações: www.inca.gov.br

* Cristhiane Silva Pinto é médica especialista em Cuidados Paliativos e Bioética. Atua nas Unidades de Cuidados Paliativos do INCA e da OncoVitae.

Sobre oncovitae

Clínica de oncologia em Botafogo, Campo Grande, Madureira e Tijuca - Rio de Janeiro. Consultas oncológicas, cururgia oncológica, quimioterapia, psiconcologia, nutrição oncológica. Convênio ou particular.

3 Respostas

  1. Aguida

    Realmente precisamos mobilizar grande parte da população quanto a causas e danos que o cigarro causa.A população tem mesmo a informação de que o cigarro só causa câncer de pulmão. Enfim, de que maneira posso contribuir?

    1. Uma das melhores formas de contribuir é divulgando informações corretas e orientando aquelas pessoas que não tem conhecimento sobre o assunto. Normalmente devemos começar por aqueles mais próximos, como: familiares, amigos do trabalho, vizinhos. Além disso, cabe denunciar estabelecimentos que não cumprem as normas estabelecidas, ou seja; que fazem propaganda, que vendem para menores, que não proibem o uso do tabaco em lugares fechados, etc. Fico feliz com seu comentário e me coloco a disposição para qualquer orientação sobre o assunto.

Deixe um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s