O Rosa de Outubro

Por Cristhiane Silva Pinto*

Caros Leitores, principalmente minhas queridas meninas – afinal, outubro é cor-de-rosa! -, é nesse mês que escolhemos nos empenhar na divulgação maciça de informações e na batalha contra o câncer de mama, esse vilão que tem atacado tantas mulheres em todo o mundo. Não vou me ater a informações técnicas sobre o câncer de mama dessa vez, pois nada teria a acrescentar após a matéria da admirável Dra. Nise Yamaguchi. Vou falar sobre o rosa e sua ligação com as mulheres.

Tantas são as representações femininas ao longo dos séculos, em formas, textos, cores, mas nenhuma é tão atual quanto o rosa! O rosa é a mistura do branco, que simboliza a pureza e do vermelho, que simboliza a força, a maturidade da mulher.  As mulheres não precisam ser nem brancas e nem vermelhas, podem encontrar equilíbrio no cor-de-rosa!

Rosas2

Inúmeros autores falam também sobre a flor, que leva o mesmo nome, e fazem uma estreita comparação ao feminino. A mulher é como a rosa, delicada, suave, bela, porém com espinhos que a permite se defender e não se contentar com uma situação de vítima da sociedade.

A mulher é um ser complexo, e assim como a Lua muda no céu com o passar do tempo, a mulher muda com o transcorrer da vida. A vida que devemos lutar para que, embora esteja repleta de outras nuances e cores, seja em sua maioria sempre cor-de-rosa!

Em homenagem às mulheres cor-de-rosa que somos, vou dividir com vocês músicas, poemas e pequenos textos que nos revelam essa realidade de ser mulher!

Sugiro que todos nós usemos esse mês uma pequena peça cor-de-rosa, diariamente. Pode ser uma bolsa, um anel, uma pulseira, uma peça de roupa ou até mesmo uma pequena fita amarrada ou presa por um alfinete. Vamos mostrar que estamos juntos na luta que é representada no mês de outubro, mas que deve ser uma realidade durante todo o ano!

Beijos cor-de-rosa a todas!

*Cristhiane Silva Pinto é médica especialista em Cuidados Paliativos e Bioética. Atua nas Unidades de Cuidados Paliativos do INCA e da OncoVitae.

 

Rosa

Pixinguinha

Tu és, divina e graciosa
Estátua majestosa do amor
Por Deus esculturada
E formada com ardor
Da alma da mais linda flor
De mais ativo olor
Que na vida é preferida pelo beija-flor
Se Deus me fora tão clemente
Aqui nesse ambiente de luz
Formada numa tela deslumbrante e bela
Teu coração junto ao meu lanceado
Pregado e crucificado sobre a rósea cruz
Do arfante peito seu

Tu és a forma ideal
Estátua magistral oh alma perenal
Do meu primeiro amor, sublime amor
Tu és de Deus a soberana flor
Tu és de Deus a criação
Que em todo coração sepultas um amor
O riso, a fé, a dor
Em sândalos olentes cheios de sabor
Em vozes tão dolentes como um sonho em flor
És láctea estrela
És mãe da realeza
És tudo enfim que tem de belo
Em todo resplendor da santa natureza

Perdão, se ouso confessar-te
Eu hei de sempre amar-te
Oh flor meu peito não resiste
Oh meu Deus o quanto é triste
A incerteza de um amor
Que mais me faz penar em esperar
Em conduzir-te um dia
Ao pé do altar
Jurar, aos pés do onipotente
Em preces comoventes de dor
E receber a unção da tua gratidão
Depois de remir meus desejos
Em nuvens de beijos
Hei de envolver-te até meu padecer
De todo fenecer

Cor de Rosa Choque

Rita Lee

Nas duas faces de Eva
A bela e a fera
Um certo sorriso de quem nada quer

Sexo frágil
Não foge à luta
E nem só de cama vive a mulher

Por isso não provoque
É cor de rosa choque
Não provoque
É cor de rosa choque
Não provoque
É cor de rosa choque
Por isso não provoque
É cor de rosa choque

Mulher é bicho esquisito
Todo mês sangra
Um sexto sentido maior que a razão

Gata borralheira
Você é princesa
Dondoca é uma espécie em extinção

Por isso não provoque
É cor de rosa choque
Não provoque
É cor de rosa choque
Não provoque
É cor de rosa choque
Por isso não provoque
É cor de rosa choque
Não provoque

As Rosas Não Falam

Cartola

Bate outra vez
Com esperanças o meu coração
Pois já vai terminando o verão enfim

Volto ao jardim
Com a certeza que devo chorar
Pois bem sei que não queres voltar para mim

Queixo-me às rosas, mas que bobagem
As rosas não falam
Simplesmente as rosas exalam
O perfume que roubam de ti, ai…

Devias vir
Para ver os meus olhos tristonhos
E, quem sabe, sonhar os meus sonhos
por fim


 

Sobre oncovitae

Clínica de oncologia em Botafogo, Campo Grande, Madureira e Tijuca - Rio de Janeiro. Consultas oncológicas, cururgia oncológica, quimioterapia, psiconcologia, nutrição oncológica. Convênio ou particular.

Deixe um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s