Como uma Campanha Pode Curar o Câncer?

“Atualmente, muitos tipos de câncer são curados, desde que tratados em estágios iniciais, (…). Mais da metade dos casos de câncer já tem cura.”  – INCA

Uma campanha não é um remédio que se toma. Não é também nenhum novo aparelho e nenhuma nova cirurgia. Costumamos acreditar que a cura de uma doença, principalmente uma doença tão misteriosa como o câncer, será possível apenas através de novas descobertas científicas. Mas a ciência não pode fazer o trabalho todo sozinha. Foi justamente com base nos dados de pesquisas que se formulou essa campanha de conscientização para ser eficiente na cura do câncer. Mas como “propaganda” pode curar o câncer?

Informação é saúde

Hoje temos a tecnologia e o conhecimento para curar boa parte dos cânceres em estágios iniciais. De nada servirá esse conhecimento se os cânceres continuarem a ser diagnosticados tardiamente. Também temos o conhecimento que certos hábitos aumentam a probabilidade do câncer se desenvolver. De nada servirá esse conhecimento se as pessoas continuarem a cultivar tais hábitos. A campanha mundial Outubro Rosa age na conscientização do público geral sobre câncer de mama, propagando o mais avançado conhecimento em prevenção e diagnóstico precoce. Esse conhecimento só terá utilidade e efeito se for aplicado pela população no seu dia a dia. Uma vez que o público comece a aplicá-lo, a incidência de câncer vai diminuir e a probabilidade de cura vai aumentar. É dessa forma que a campanha pode curar.

Prevenção

Como publicado nesse artigo, através dos hábitos saudáveis podemos prevenir o desenvolvimento do câncer. Obesidade pós menopausa, alcoolismo, sedentarismo ou fumo, são exemplos de hábitos doentios considerados agentes carcinógenos. Estima-se que 28% das mulheres portadoras de câncer poderiam não tê-lo desenvolvido se tivessem mantido hábitos saudáveis ao longo da vida. Informe-se sobre prevenção do câncer: O Hábito é a Segunda Natureza; A Obesidade e sua Relação com o Câncer; Alimentos que Melhoram a Imunidade; Dia Mundial do Combate ao Fumo; Prevenção do Câncer de Colo de Útero; Câncer Relacionado ao Trabalho.

Diagnóstico precoce

O câncer tem muito mais probabilidade de cura quando é diagnosticado com menos de dois centímetros. Os métodos de eficácia cientificamente comprovada para esse diagnóstico são:

Monitoração do próprio corpo:

Toda mulher deve monitorar seu próprio corpo e procurar um médico se houver qualquer anormalidade. O conhecimento do corpo é fundamental para manter a saúde e estar alerta aos primeiros sinais de uma possível doença. Isso deve ser feito sem paranoia. A observação do corpo tem que ser um ritual de saúde e de amor próprio, não um scaner de doenças! Mesmo se por acaso encontrar qualquer anomalia, como nódulo mamário, é importante lembrar que a maioria desses nódulos não é câncer. Antes de se preocupar procure um médico, ele fará o exame clínico para você.

Exame clínico:

O exame clínico das mamas é o exame feito por um médico especialista. Todas as mulheres são encorajadas a fazê-lo, mas os grupos nos quais ele tem eficácia comprovada são: Mulheres que perceberam alguma anomalia em seus seios, todas as mulheres acima de 40 anos e mulheres com mais de 35 anos que foram diagnosticadas por médico especialista como pertencendo a grupo de risco. Os dois últimos grupos devem fazer o exame clínico das mamas anualmente.

Mamografia de diagnóstico precoce:

Ela é indicada pelo médico quando o exame clínico apresenta alguma anomalia. A mamografia, nesse caso, vai ajudar a fazer o diagnóstico se um nódulo é ou não câncer.

Mamografia de rastreamento:

Essa é a mamografia feita sem que a mama apresente anomalia. Ela pode ser feita em qualquer mulher, mas é eficaz para diagnóstico precoce em dois grupos: O de mulheres acima de 50 anos, que devem fazer, além do exame clínico das mamas anualmente, a mamografia de rastreamento a cada dois anos; e o grupo de mulheres que foram diagnosticadas como sendo de risco, que devem fazer o exame clínico e a mamografia todos os anos a partir dos 35 anos de idade. A mamografia de rastreamento é responsável pelo aumento de até 30% da probabilidade de cura dos cânceres em mulheres acima dos 50 anos de idade em países que conseguiram implementa-la amplamente.

Sobre oncovitae

Clínica de oncologia em Botafogo, Campo Grande, Madureira e Tijuca - Rio de Janeiro. Consultas oncológicas, cururgia oncológica, quimioterapia, psiconcologia, nutrição oncológica. Convênio ou particular.

Deixe um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s